Escrevente Judiciário – O Que Faz, Requisitos, Salários e Benefícios da Carreira

Conheça todos os detalhes sobre a carreira de escrevente judiciário.

Em todo o serviço público brasileiro, as vagas em aberto que requerem somente o ensino médio são as mais disputadas entre os concurseiros, pois o salário é bastante atrativo se fizermos uma comparação com empresas privadas.

O concurso para o Tribunal de Justiça do estado de São Paulo (TJ/SP) publicou no último dia 31 de março, 590 vagas para o cargo de escrevente técnico judiciário, com vencimentos iniciais de R$ 5.697,16 com exigência apenas do nível médio. Os benefícios são vários, como estabilidade profissional e financeira, bons salários, diversas mordomias oferecidas pelo serviço público brasileiro, além do fato de trabalhar em um dos órgãos mais disputados no Brasil. Nesse artigo, vamos esclarecer quais as funções de um escrevente judiciário e o que ele faz no dia a dia no Tribunal de Justiça.

Uma das atividades dessa profissão é lidar com todos os processos administrativos de forma direta, ou seja, fazer a emissão de mandados de busca ou ofícios, preparar todo o expediente diário, além de todo o acompanhamento da situação de cada processo. Todas as atribuições do órgão são chamadas de ordem administrativa. Na função de escrevente técnico judiciário, o trabalho no Tribunal de Justiça consiste em fazer a autuação de petições, expedição de cartas e atendimento ao público em geral, advogados em sua maioria.

Na verdade, qualquer cidadão pode-se tornar um escrevente, mas aqueles que tem maior facilidade em trabalhar em equipe e sabem lidar com o público em geral podem se sobressair melhor na profissão e o trabalho se tornar mais prazeroso.

O contratado para exercer essa função pode atuar em algum cartório determinado ou trabalhar dentro do próprio Tribunal de Justiça, diretamente com um juiz.

Acredita-se que no futuro as atribuições para o cargo de escrevente judiciário poderão ser mais seletivas do que as atuais.

Os requisitos para quem quiser se candidatar ao cargo de escrevente judiciário são: ser brasileiro nato, ter 18 anos completos, ensino médio completo, estar em dia com todas as obrigações civis e militares e não ter tido passagem pela polícia.

Rodrigo Souza de Jesus

Cargos públicos que pagam os maiores salários

Promotores, Juízes, Procuradores e Diplomatas são os cargos públicos que ganham os mais altos salários no funcionalismo público.

De acordo com o pesquisador e economista da Fundação Getúlio Vargas, Roberto Afonso, das dez remunerações mais bem pagas no país, seis pertencem ao serviço público brasileiro. Este foi um tema de uma pesquisa feita pelo mesmo, que listou as dez maiores profissões que recebem os mais altos salários dentre todos os profissionais analisados. A análise foi feita a partir de dados obtidos junto à Receita Federal do Brasil no ano de 2015, tendo por base o ano anterior, de 2014.

Segundo o pesquisador, os cargos públicos foram os que se sobressaíram em termos de maiores remunerações pagas durante o ano de 2014. A análise de ganhos, tendo por base, os remunerações declaradas pelo imposto de renda mostrou que seis dos dez maiores salários estão circunscritos à chamada elite do funcionalismo público. Neste estudo, inclui-se também o que o economista classificou de uma atividade híbrida, ou seja, aqueles que possuem a concessão dos chamados cartórios públicos, pois atuam tanto na área pública quanto do setor privado. Este, juntos, representam os campeões em termos de remuneração. A análise de mais de 9.000 donos destes locais públicos mostrou que o faturamento anual foi superior aos R$ 10 bilhões.

Logo em seguida, do segundo ao oitavo lugar, temos os Promotores e Procuradores do Ministério Público, Juízes e demais funcionários públicos dos Tribunais de Contas e Diplomatas. Os dois primeiros recebem anualmente uma remuneração superior aos R$ 520 mil, enquanto os outros são agraciados com um salário anual superior ao R$ 510 mil. Já os representantes diplomáticos acima possuem um montante anual de pagamentos em torno dos R$ 310 mil.

O resultado da pesquisa foi feito levando-se em consideração um total de mais de 25 milhões de pessoas que entregaram a sua declaração anual. O total de remunerações declaradas foi algo superior aos R$ 1 trilhão no ano. Nesta divisão, o grupo dos ocupantes de cargos públicos responsável pela fatia dos super salários ficou enquadrada no grupo que ganham acima da média salarial considerada alta pela Receita Federal e que compreende ganhos acima dos R$ 86 mil anuais. Os promotores, Juízes, Procuradores e Diplomatas e demais estão enquadrados nesta faixa.

Por Emmanoel Gomes

Como identificar se você não combina com a carreira pública

Observar o seu perfil profissional, as atividades do cargo e as chances de crescimento são dicas para não se frustrar após ser aprovado

Conseguir um emprego no setor público é o sonho de muitos brasileiros, ainda mais agora com a crise assolando o país e o desemprego batendo na porta das empresas. Mas é preciso muita cautela para ver se o seu perfil combina realmente com a carreira pública, para não correr o risco de ficar frustrado depois e ter que abandonar o emprego pelo qual você precisou lutar tanto para conquistar.

Por isso, é muito importante que antes de dedicar horas e mais horas dos seus dias aos estudos, em busca de conquistar a tão sonhada vaga na carreira pública, o candidato observe se realmente tem o perfil para este trabalho.

E como identificar se você combina, ou não, com a carreira pública?

Uma boa dica é analisar o seu perfil e ver se as suas expectativas profissionais combinam com as oportunidades que lhe serão oferecidas na carreira pública, por exemplo: quem está buscando por uma rápida ascensão na carreira, certamente vai se frustrar na carreira pública.

Essa é uma carreira de poucas oportunidades para o crescimento profissional e a não ser que um chefe se aposente, você vai ter que esperar muitos, mas muitos anos mesmo até conseguir ser promovido e isso, se conseguir, porque a grande maioria dos que entram nesta área, se aposentam no mesmo cargo em que iniciaram.

Outro fator determinante é procurar conhecer todas as esferas públicas, pois há concursos municipais, estaduais e também os federais. Claro que os concursos públicos municipais oferecem salários menores, se comparado com os da esfera estadual e principalmente federal. Mas é importante ressaltar que quanto maior o salário, maiores são as exigências, então não adianta simplesmente se candidatar nos concursos que ofereçam melhores remunerações, é preciso analisar bem os requisitos necessários.

Para identificar mais facilmente se você combinará ou não com a vaga pública a qual pretende se candidatar, o melhor mesmo é fazer uma ampla pesquisa sobre o tipo de trabalho que é proposta no cargo em aberto.

A grande maioria dos candidatos se interessam apenas pelo salário e os benefícios e, por isso, após conquistarem a vaga, se sentem tão frustrados, pois não é uma área na qual eles realmente têm prazer em atuar.

Verifique quais os serviços que são realizados, se há chance de crescimento, pois assim você conseguirá identificar se de fato, a vaga oferecida traz uma carreira pública que vá de encontro com o seu perfil profissional.

Por Russel