Concurso TRT/RJ 2015 abre edital com 18 vagas de juiz

As inscrições vão até 05 de junho de 2015 para candidatos de nível superior

Um novo edital de concurso público foi lançado pelo Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT – 1), órgão público que está presente no estado do Rio de Janeiro. Consta no certame que o seu principal objetivo é fazer a contratação de 18 novos profissionais, e as vagas estão sendo direcionadas para aqueles que possuem o ensino superior completo na área de Direito.

Essas pessoas que serão contratadas vão atuar no cargo de Juiz do Trabalho Substituto e o valor que será pago de remuneração inicial é de R$ 27.500,17, mais os benefícios, como o auxílio-transporte, auxílio-saúde, entre outros.  

Através desse processo seletivo será feito também a Formação de um novo Cadastro de Reserva, pois novas contratações deverão ser feitas de imediato, caso surjam novas oportunidades para a mesma função durante o tempo em que o edital estiver vigente.

As inscrições estão sendo recebidas do dia 07 de maio até o dia 5 de junho de 2015. O preenchimento do formulário de interesse deverá ser realizado no site da empresa que é a responsável pela realização das etapas de seleção, que é a Fundação Carlos Chagas – FCC (www.concursosfcc.com.br).

Todos os participantes deverão fazer o pagamento da taxa de inscrição obrigatória, e o valor que está sendo cobrado é de R$ 165. O boleto será aceito em bancos, casas lotéricas e demais estabelecimentos que são conveniados.  

Mas vale destacar que os interessados precisam ter o ensino superior completo, e precisam comprovar que trabalham em área jurídica em um período mínimo de 3 anos, além de outras exigências que estão disponíveis no certame.

Para saber todos os demais detalhes desse processo seletivo, indicamos que nesse mesmo site da Fundação Carlos Chagas faça a leitura do edital completo.

A seleção dos juízes vai ser realizada através de prova objetiva, prova escrita, prova discursiva, prova oral, exame de sanidade física e mental, sindicância de vida e investigação social. 

Por Yasmin Fernandes Robles