Concurso CFA 2015 abre 855 vagas

As inscrições irão até o dia 22 de abril de 2015

O Conselho Federal de Administração (CFA) irá realizar um novo processo seletivo com intuito de disponibilizar 855 oportunidades, onde 850 vagas são destinadas à modalidade de cadastro reserva. A banca organizadora escolhida é o Instituto Quadrix.

As pessoas que tiverem concluído o ensino básico terão a chance de se inscrever nas funções de agente de postaria e serviços gerais. A remuneração mensal será de R$ 1.094,55. Os candidatos que tiverem concluído o ensino médio poderão concorrer aos postos de: técnico em suporte de redes, assistente administrativo, técnico em contabilidade e programador. Os rendimentos mensais serão de R$ 2.022,50.

Os profissionais que tiverem concluído a graduação poderão se inscrever nos postos de: analista arquivista, analista de sistemas, analista estatístico, administrador, web designer, analista jurídico e controlador de finanças. O salário será de R$ 5.168,20.

Os funcionários também receberão os seguintes benefícios: auxílio de material escolar no valor de R$ 170,00, auxílio destinado à capacitação profissional de R$ 398,00, plano de saúde, vale-refeição no valor de R$ 654,00, auxílio creche de R$ 183,00 e plano de carreira.

As pessoas interessadas em participar do exame seletivo devem se inscrever através do site www.quadrix.org.br. O prazo das inscrições foi iniciado no dia 19 de março e será encerrado no dia 22 de abril. Para validar a inscrição é necessário que os candidatos efetuem o pagamento de uma taxa entre os valores de R$ 25,00 até R$ 55,00.

O certame consistirá em testes objetivos, avaliação discursiva e provas práticas. Os testes objetivos e também o exame discursivo acontecerá em Brasília (DF) no dia 17 de maio. O exame prático sucederá em Brasília (DF) no dia 28 de junho. Maiores informações sobre o processo seletivo podem ser obtidas no site que foi mencionado acima.

O exame seletivo será válido por um período de dois anos tendo a possibilidade deste prazo ser estendido conforme a decisão do Conselho Federal.

Por Felipe Couto de Oliveira